Oi gente, Go aqui mais uma vez. O rapper paulistano KK (sim, o anteriormente conhecido como KK Ousado) tomou notoriedade nacional pelo seu hit “1NOJO” lançado em 2017, ultrapassando a marca de duas milhões de visualizações no youtube. Em seguida, lançou diversas colaborações com o talentosíssimo produtor Nagalli e, dentre elas, tivemos bons sons como “Meu Destino”, que ainda conta com a participação de MAT.jpg na produção. A busca por emplacar mais um grande hit continuou, mesmo que sem muito sucesso, com os lançamentos dos projetos “Ousadia” (2018) e o “O Pai tá Ousado, Vol.1″ (2019), este último em colaboração com Geenuino, O Pai. Entender a caminhada artística de KK é interessante para um panorama do que podemos esperar de “Em Transe”.

O álbum é bem agradável em sua esfera musical como um todo, principalmente por conta da ótima produção executiva de Finezze ao trazer uma satisfatória seleção de nomes, que conta com o já comentado Nagalli além de Ykymani, Kustor e Celo. Através de uma excelente disposição dos beats, os produtores entregam uma viagem sonora de musicalidades diversas e de muita classe que roubam a cena em boa parte do projeto.

 “A Visão” é a faixa que abre o álbum em uma introdução onde MC não entrega grandes rimas, mas que conta com um refrão chiclete e um flow bem interessante com elegantes variações de intensidades de acordo com as viradas do beat, principalmente nas pontes entre os refrões e os versos que se sucedem.

A track “Na Xavi” soa como uma tentativa de repetir a fórmula de sucesso de “1NOJO” por conta de uma produção relativamente parecida, temática padrão e entonação do MC em suas rimas. O destaque dentro dessa atmosfera típica ao trapper fica por conta dos adlibs bem postados dentre seus versos. 

No início dessa review, passamos por vários pontos da carreira do MC, do lançamento de um hit logo em seus primeiros trabalhos até outros projetos que não tiveram o mesmo alcance, e, como mencionado, entender esse caminho é importante para gente percorrer por esse disco. A experiência dentro dos altos e baixos é gasolina para o projeto, e a faixa “Swingingado” é a síntese de tudo isso. A temática pela qual a track passa fala sobre o caminho percorrido pelo MC dentro da arte como um todo, já que, além de músico, KK também é atuante no mundo da moda. E, em um beat maravilhoso de Nagalli, ele entrega boas linhas, dentre as quais estas merecem destaque: 

De fase em fase

Sem me perder nessa vida artística

Dígitos no milhão pra todos os irmãos

Vivemos a guerra, então ao orixás, eu peço proteção

Em “O Que Você Quer”, contamos com a participação de SMILE e PEE7, o primeiro fica responsável pelo refrão enquanto o outro fica com o segundo verso, a track é bem genérica no geral, sem uma produção que acompanha o nível do álbum e com linhas que não se destacam dentro da música, o que levanta questões sobre qual a relevância para a faixa figurar na tracklist do projeto. 

“De Repente” tem a participação do MC de Guarulhos Malcolm VL, roubando a cena com seu primeiro verso em um som de temática que aborda as mudanças em suas vidas proporcionadas pela arte. Desde o lançamento de seus primeiros singles, é visível o grande potencial de Malcolm (que, assim como KK, também atua no mundo da moda).

Assina esse talão de cheque

Várias duvidou, então cheque

Empresário investe

Sempre armado com os black’

Sempre armado com black

Sessões e flash

Moleta da Nike, eu sei que reflete

Amor e bençãos, é tudo que eu peço

Mano, se eu parar, parar de sonhar

Minha vida, sou eu quem impeço

Para finalizar, temos as love songs do álbum: “Fora de Série” e “Tanto Faz”. Ambas são bem produzidas, com um destaque maior no quesito para a última por um beat bem fluído onde KK consegue performar de forma satisfatória boas rimas e, mais uma vez, temos aquele ótimo refrão que fica na nossa cabeça, objetivo costumeiro do álbum:

Vamo viver essa loucura

Mata seu desejo e a procura

Do clímax, do ponto mais alto

Em rima, eu conto nossos atos

Coisa louca faz sentir

Te deixo louca com tudo isso aqui

Tira minha roupa, tira minha postura

Não jogo jogos, não te faço juras

Neste trabalho, KK mostra que, mesmo sem alcançar grande números novamente, busca desenvolver novos projetos em conjunto de bons nomes da produção musical da cena brasileira, “Em Transe” vivemos uma boa experiência sonora proporcionada em muito por essa qualidade de produção. Do outro lado, ainda que seja pouco inovador, ele também carrega bons momentos de performance do MC. A saga em busca de direcionar novamente os olhos da cena para o seu trabalho e emplacar outro hit talvez não seja concluída neste momento, no entanto, o projeto mostra pontos positivos suficientes para boas audições. 

Author: Go

Engenheiro mecatrônico, designer gráfico, amante de arte e tecnologia, apaixonado pela cultura hip-hop e boêmio demais!