Vem ouvir "BB", o novo EP da Vix Russel

Ninguém sabe porque, mas o seu mano Dourado ta de volta. Não estava nos planos fazer review tão cedo, mas chegou coisa nos ouvidos que levantou até defunto aqui em casa para dançar. A glamourosa Vix Russel está alcançando o trono de Rainha do DF há um tempo já, em 2019, lançou o EP Guias, que, como qualquer projeto de estreia, apresentava evidentes pontos fracos. Porém, como poucos trabalhos de estreia, mostrava uma potencial estrela. Cheia de atitude e imposição nas letras, Vitória ainda swingava por todo espaço sonoro que o fone permitisse, gerando uma queda de braço entre a força da compositora e a força da intérprete, a disputa terminou com 2 vencedores: a cantora Vix e todos os espertos que deram uma atenção ao projeto. Com as Guias, ganhou o Red Bull Music Breaktime Sessions e gravou um EP no estúdio da RB, em São Paulo, assim surgiu o tema deste texto.

“BB” é baseado em um bom e velho disco. Lado A e Lado B, sabe? Só que são dois lados B, já que o hip-hop no Brasil não é aceito como lado A. Em quatro faixas, apresenta dois sons para cada B, um EP completo pra você chamar de Bebê. A primeira metade é alegre, dançante e inquestionável. Dividida entre “Poolparty” e “Comigo” a abertura é Latina, com melodias caribenhas, batidas quentes e úmidas, do jeito que a nossa querida América é. Todas as faixas foram produzidas pelo seu amigo e parceiro de longa data, Jojo Baby, o que torna a obra ainda maior, pela sinergia e o mote de levar os seus consigo para o sucesso. Na faixa inicial, rola até o famoso shout-out, ou, em bom pt-br, Salvê para o produtor. Casando as duas faixas de abertura, temos um ambiente íntimo, um rolê só com as amizades, aquela liberdade de se divertir, aquela dançada que vem de dentro coincidentemente após a entrada da bebida. 

O segundo lado B é menos agradável. Só pela temática. continua sendo cativante e dá aquela vibe gostosa. Sintetizadores do JoJo estão deixando Brasília cada vez mais perto da Califórnia. “Antônia” tem um valor de choque diferente dentro do EP, para um desatento, que abriu o projeto de Vix e deu play sem ler a tracklist, ouviu duas músicas dela solo, sendo assim, começar a faixa 3 com uma voz masculina dá certo susto. Dito isto, Malcom VL traz um verso forte de abertura, Kel entra num casamento já longevo de sua voz com as linhas de baixo de Jojo e faz uma ponte incrível. Vix completa a música com um longo e narrativo verso que não passa perto de ser cansativo devido ao flow e preenchimento sonoro. O contraste da voz de Malcom VL em relação ao casamento das vozes de Vix e Kel com o beat tornam a obra fascinante a cada audição. Já em “Amarildo”, temos Russel e Jojo apenas, pelo nome, é de fácil dedução que a música tematiza o que vive a população negra no país. 

Conta aqui pra mim como que cê cresceu?

Qual história ruim ce finge que nao aconteceu?

E eu vou chorar de novo se for um filho meu

Mas cês nunca vai meter esse louco com um filho meu

As quatro faixas destoam entre si, bastante, exatamente como o conceito do “BB” implicava. Cantora completa, a goiana Vix Russel usa de cada detalhe do conceito que criou, carrega os seus consigo para o (até então) seu momento mais glorioso e prova que tem toneladas de material de sucesso dentro de si. Em dois pares de sons, mostra versatilidade para explorar sonoridades diferentes enquanto derrama a sua identidade por todas estas. Vimos uma versão da MC que está cheia de si (no melhor dos sentidos), isto é, completamente consciente de suas forças e de sua persona musical, ciente e capaz de esconder o que for ponto fraco. 

Sendo um projeto curtinho, fica fácil amenizar e suprimir os problemas. “Poolparty” conquista imediatamente e cresce a cada audição. É o carro chefe e, justamente por isso, vem na dianteira, fruto de uma boa produção executiva. Não abre todas as portas do mundo mas, com certeza, abre olhos na direção da jovem cantora. Fica a curiosidade para todos que ouvirem sobre como seria a aventura num album full-lenght e em videoclipes, para cravá-la como artista completa.

Author: Andre Dourado

Rap Nacional é merda e eu sou o especialista das fezes