Iaee seus acorda discutindo com mendigo… suave? Shaq por aqui. De volta após um longo tempo (podcast é corrido tio, inclusive clica aqui pra ouvir o último que saiu), hoje vamos falar de um trampo que saiu tem um tempinho, não falamos no ano passado e tamo aí pagando esses débitos de 2018. O disco em questão, como vocês já leram no título, é o Good Smell (era Vol. 1 e não é mais… vai saber, tempos de streaming), do talentosíssimo niLL. Então, sem mais enrolações, vamos às notas.

Pra começar, a parte visual da tape chama a primeira atenção, na capa temos uma arte que remete às influências que o MC de Jundiaí já deixou claro que possui: animes. Na ilustração assinada por Leonardo Bermal, temos uma personagem com um implante no lugar do braço direito, característico do anime FullMetal Alchemist, no qual a primeira faixa carrega o nome da mangaká criadora da obra. Uma coincidência que pode ser coisa da minha cabeça, ou uma analogia muito bem pensada: não temos uma visão direta das feições da personagem na capa da mixtape, da mesma forma que não se tem uma foto real da criadora do anime supracitado, todas as fotos na internet que têm seu nome atrelado são de outras pessoas. Além de tudo isso, todas as tracks (além da primeira), com exceção da bônus (que vou falar mais pra frente), levam o nome de mulheres da história ou da ficção, que são fortes, inovadoras e possuem traços marcantes de personalidade.

Passando para a parte que nos apetece, com relação à música propriamente dita, temos aqui produções levadas bem pro lado do vaporwave e cloudbeats, algumas me lembraram bastante aquelas playlists lo-fi do youtube, que casam muito bem não só com niLL e com a banca da SFG, mas também se encaixaram perfeitamente com as convidadas para o projeto. Todos os beats são de autoria do próprio niLL, exceto Octavia, que leva assinatura do beatmaker cearense TanBeats, e ainda tem participação da MC da Filadélfia, NormalGene. Além da MC da terra do Meek Mill, as outras convidadas foram as MCs: With Love Nika, da Bulgária, Natache do RJ e Callister de Brasília. Esta última última participa da única track que não leva um nome feminino, por se tratar de uma velha conhecida, repaginada, figurando na mixtape como faixa bônus, Atari 0.3, é uma reedição do single homônimo (ou quase) lançado antes do álbum, porém, na época, com a participação do ÉrreA.

Em suma, nilLL vem diferente, porém não distante do seu trabalho anterior, rimando sobre o cotidiano pós moderno, em beats nada convencionais e com participações que fecham muito bem ao estilo proposto na atmosfera da mixtape. Sem manter uma fórmula especifica, porém, ainda assim, inconfundível, em Good Smell, temos referencias cruzadas de mulheres históricas e personagens de animes marcantes, dando o tom de mais um bom trabalho vindo da banca da pizza voadora.