Fala seus te_vi_na_rua_ontem.mp3, suave? Aqui quem fala é o Vitor, mas não aquele Vitor, o outro Vitor. Sou novo por aqui, então se quiser me conhecer melhor, dá uma olhada nas bobagens que falo pela internet afora: twitter // youtube // site
Esse é o meu primeiro post aqui no Rap Sh!t e1 estarei inaugurando um novo quadro, o Poop Points. Nele vou falar sobre o que eu quiser, pois não estou atendendo as demandas capitalistas da indústria musical (a não ser que me paguem muita grana, ai atendo as demandas numa boa). Vamos para o que interessa!
A relação entre o rap e o mercado sempre foi meio conturbada, até hoje a FNGR (Federação Nacional dos Guardinhas do RAP) é efetiva em julgar artistas como o Emicida, por fazer grana. Isso se reflete no meio publicitário, porque os rappers brasileiros não estão nos comerciais da televisão? Quem são os culpados por essa ausência?
Serei categórico, os culpados são os publicitários. O potencial do rap nacional ainda não chegou na Vila Madalena. Os publicitários ainda não perceberam a capacidade do rap brasileiro na criação de tendências. Você pode debater com meus argumentos, mas contra os números não existem argumentos.

Bro, uma musica que mudou o mundo e ditou tendências

Visando ajudar o publicitário, essa classe que tanto sofre. Essa classe que entre uma cerveja gourmet e uma ida ao starbucks, trabalha. Criei um pequeno guia que mostrará como o rap nacional é o veiculo publicitário perfeito para atingir nichos.

Problemas Gastrointestinais

Imagine que você tenha um produto, que é conhecido por pessoas mais velhas. Um produto que faz muito sucesso no tratamento de queimação e má digestão. A necessidade de renovar o público alvo é iminente. Como chamar atenção de jovens que se gabam por não terem ressaca, jovens que se dizem fortes como pedra? Simples, coloque um rapper que fale sobre problemas gastrointestinais. Abebe Bikila, mais conhecido como BK, é o rapper perfeito, acompanhe:

Compra comigo, me deixa forte
Chega a dar azia, eu vou fazer minhas notas.

BK “Favela Vive 2″
Peça publicitária – Sonrisal – 2019

“Enjoado com o que acabei de comer.”
BK “Poetas No Topo”

Moda

A moda e o rap sempre andaram juntos, aqui no Brasil não seria diferente. Visando demonstrar a união entre o apreço por vestimentas e o método de produção em massa temos Mc Igu:

Faca

Como vender faca em uma sociedade que tem uma preferência muito maior por armas de fogo? Contrate o rapper Brill!
Listem comigo, a palavra faca está presente nas músicas: “Farsa“, “Positivo e Operante“, “Disgraça do Ano“, “NectaMarginal“, “Funeral RMX“, “Notas“, “KGL” e também na música “Faca“.

Tramontina feat Brill

Jornal Nacional

Fórmulas batidas, método de comunicação engessado, onde a maior inovação foi fazer o apresentador dar uma caminhada no estúdio. É assim que vejo o Jornal Nacional.
A hora da garota do tempo não nos diverte e mal nos informa. Isso tudo pode ser diferente, basta colocar uma das figuras mais hype do cenário nacional como apresentador. O usuário que acumula bloqueios de conta no Twitter. O rockstar, o lil raff baby, o raw raw emo, o indistinguível Raffa Moreira.

“Bro, faz sol”

O garoto do tempo

O mundo está mudando e o rap nacional carrega o baluarte desse novo momento. Aos meios de comunicação tradicional resta duas escolhas: se adaptar ou ficar pra trás. Só o futuro nos dirá qual foi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.