Iae mes ami suave? Shaq aqui pra mais um review maroto e como tá quase na hora da ceia de natal já vamo logo às notas pra encher o rabo de peru sem preocupação (piada patrocinada pelo tiozão do pavê™).
O álbum em questão é Huncho Jack, Jack Huncho, trapzada proporcionada pra nós por Quavo segundo melhor Migo e Travi$ Scott o segundo Migo perdido. Então sem mais delongas, vamos às notas.
Como eu gosto de começar pela capa, quando ela é relevante, temos aqui uma arte do Ralph Steadman, baseada nas artes do livro Fear and Loathin In Las Vegas (fato: Scorcese tentou comprar os direitos do livro pra fazer um filme com Marlon Brando e Jack Nicholson, apenas imaginem), mas o importante a destacar aqui é que a capa e vários pôsteres inspirados na arte foram espalhados por NY e elas são foda. Check it.


Sobre o disco no geral é aquela mesma formulazinha: vários 808, teclados de igreja batista como sample, muitos e muitos hihats, e adlibs, adlibs para caralho, mas como sempre o diferencial é a caneta, aqui Travis e Quavo se destacam, não a ponto de superar os versos nos seus respectivos álbuns (Culture e Birds In the Trap), mas essas tracks descartes aparentes superam de longe, muitos que tão tentando fazer esse tipo de trap e soam apenas cansados.
Em suma, o trampo é bem mediano e não traz nada novo, parece que foi feito aproveitando aquela horinha de estúdio que sobrou das sessões do Astroworld e do Culture 2, mas que superam e muito os demais, porém, não sai do lugar comum, apesar de tudo, Huncho Jack é uma fábrica de bangers, que vão alimentar muitas playlists de festa e sets de DJ por aí. As faixas que mais curti foram Eye 2 Eye, Dubai Shit e Motorcycle Patches (essa Travinho tá com o autotune ONPOINT!).
 
No mais é isso mesmo rapeize. Fiquem ligados e ligadas que já já vem mais coisa por aí.
~boas entradas~